Notícias

Projeto "Os Insetos" - G5

Projeto

28 Nov 2019

Os insetos "invadiram" a Educação Infantil

A visita inesperada de alguns insetos no parque, como besouros, abelhas, joaninhas e formigas geraram muita euforia e curiosidade nas crianças e o fascínio que elas têm pelas questões relacionadas à natureza e ao mundo animal, fez surgir um projeto permanente para o Grupo 5, de investigações sobre "Os Insetos".

Durante os últimos meses, as inquietações - perguntas, comentários, curiosidades e brincadeiras - foram respondidas de forma individual e coletiva por meio da pesquisa científica, desenvolvendo habilidades de percepção, observação, investigação, reflexão, análise, formulação de conceitos e conclusões.

Mas isso é possível com crianças tão pequenas? Sim! As crianças tiveram acesso a livros e revistas com imagens e textos informativos, vídeos-documentários sobre o modo de vida desses bichinhos, rodas de conversas sobre o que pensavam e o que estavam descobrindo, desenhos com observações atentas aos detalhes da estrutura corporal do bicho pesquisado, entre outras atividades. A cada atividade, uma nova descoberta e uma nova compreensão sobre o tema. As famílias também participaram com troca de saberes que a criança apresentava em forma de "seminário" para os demais.

Na prática, viram lagartas, acompa-nharam a formação de casulos, o nasci-mento das borboletas e mariposas. Enfim, a metamorfose completa. E quanto encanta-mento em cada fase! Compreendemos que entre a lagarta e a borboleta...há o tempo! O tempo da espera, do cuidado, da não interferência nos processos naturais. Lição que as crianças certamente levarão para a vida.

Esse interesse e curiosidade culminou em uma visita, no dia 29 de outubro, das turmas do G5 ao Departamento de Entomologia da ESALQ/USP, consolidando o que haviam descoberto e estudado antes. Esse encontro iniciou com as crianças contando para os pesquisadores o que sabiam sobre o tema. Lá viram insetários, ovos de insetos com microscópio, participaram de jogos sobre as diferentes metamorfoses, visitaram o apiário e o formigueiro, esse último em outro departamento da Universidade.

As crianças voltaram eufóricas, confir-mando que a educação tem que valorizar e respeitar os interesses e as descobertas das crianças, utilizando-os como ferramenta para os desenvolvimento das habilidades, permitindo, assim, que elas próprias sejam as protagonistas de suas aprendizagens.

Compartilhe essa postagem
Mais notícias
WhatsApp