Ensino

Educação Infantil

Na Educação Infantil, organizamos a nossa prática enfatizando os múltiplos processos, linguagens e inteligências das crianças. Visamos estimulá-las a satisfazerem sua curiosidade natural sobre o mundo, num ambiente lúdico e reflexivo, incentivando-as a solucionar problemas, resolver desafios e desenvolver a socialização.

Acreditamos na possibilidade de uma pedagogia afirmativa e inventiva, aberta às conexões, aos afetos e aos potenciais das crianças que, com a capacidade de escutar eventos expressivos, encontram alegria no inesperado, desenvolvem teorias e compartilham-nas com os outros.

 

Os Princípios Educativos:

Protagonismo Infantil

As crianças são dotadas de potencialidades extraordinárias de aprendizado e de mudanças, de múltiplos recursos afetivos, relacionais, sensoriais, intelectuais, que se explicitam numa troca incessante com o contexto social e cultural. Cada criança é sujeito de direitos e prioritariamente leva consigo o direito de ser respeitada e valorizada na própria identidade, unicidade, diferença e nos próprios tempos de desenvolvimento e crescimento.

 

Individualização e autonomia

As crianças constroem suas individualidades vivendo serena e integralmente todas as dimensões do próprio eu, experimentando segurança na multiplicidade do próprio fazer e sentir em um ambiente social amplo, conhecendo-se e sendo reconhecidas como pessoas únicas. Desenvolvem a autonomia construindo confiança em si mesmas e nos outros; encontrando satisfação no fazer a sós e também no fazer junto; expressando sentimentos e emoções; participando das decisões emitindo opiniões, operando o pensamento de forma consciente e com responsabilidade.

 

Participação

A participação é o valor e a estratégia que qualifica a maneira de as crianças, educadores e pais fazerem parte do processo educativo; é a estratégia educativa construída e vivida no encontro e na relação dia após dia. Sentimentos e cultura de solidariedade, responsabilidade e inclusão são gerados por meio da participação.

 

Escuta e expressividade

Numa educação participada, um comportamento ativo de escuta entre adultos, crianças e ambientes é a premissa e o contexto de toda relação educativa. A escuta é um processo permanente que alimenta reflexão, acolhimento e abertura em direção a si e em direção ao outro; é a condição indispensável para o diálogo e a mudança.

 

Veja Mapa Mental.

 

CLQ Mais

O CLQ Mais - é um espaço exclusivo para alunos dos Grupos 1 e 2 (1 e 2 anos) onde desfrutam de uma área verde de 1600 m2, com salas de aulas, ateliê de artes, brinquedoteca, espaço para cultivo de hortaliças e cuidado com os animais, cozinha e refeitório. O CLQ mais recebe alunos desde às 7h da manhã para famílias que necessitam deixar seus filhos na escola em período integral. 
 

Ensino Fundamental I - 1° ao 5° ano

Nos anos iniciais do Ensino Fundamental valorizamos as situações lúdicas de aprendizagem articulando-as com as experiências vivenciadas na Educação Infantil visando a uma progressiva sistematização e a novas formas de relação da criança com o mundo, em uma atitude ativa na construção de conhecimentos.

Em harmonia com nossa Proposta Pedagógica, as atividades favorecem e estimulam a participação dos alunos com liberdade, responsabilidade, respeito e cooperação. Estamos atentos em auxiliar as crianças a identificar e compreender suas atitudes, crenças e valores, trabalhando de modo positivo suas emoções, seus relacionamentos.

Continuando com o desenvolvimento da oralidade e dos processos de percepção, compreensão e representação de elementos sociais e naturais, promovemos a apropriação do sistema de escrita alfabética e de outros sistemas de representação, como os signos matemáticos, os registros artísticos, midiáticos, científicos e as formas de representação de tempo e espaço.

Explorando a curiosidade característica da criança, são habilidades importantes a serem desenvolvidas, a observação, a análise e a argumentação. Nossos alunos são expostos a situações que envolvem conceitos e fazeres científicos; são instigados a pensar criticamente e a fazer uso de novas tecnologias da informação e da comunicação, ampliando a compreensão de si mesmos, do mundo natural e social e das relações dos seres humanos entre si e com a natureza. Do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, a progressão de conteúdos ocorre pela consolidação das aprendizagens anteriores e pela ampliação de saberes e práticas.

Tais práticas consolidam-se em um desenho curricular integrador de projetos e de habilidades necessárias para o cidadão global, com os seguintes componentes: Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Arte, Educação Física, Filosofia, Tecnologia Educacional, Matemática, Ciências, História e Geografia. As atividades "mão-na-massa" do período integral complementam a grade curricular com metodologias ativas para o desenvolvimento da comunicação, colaboratividade, pensamento crítico, criatividade, educação financeira e cuidados com o corpo e saúde.

Veja Mapa Mental.


Ensino Fundamental II - 6° ao 9° ano

 

Buscamos garantir um percurso contínuo, evitando rupturas no processo de aprendizagem entre os anos iniciais e os anos finais do Ensino Fundamental. Essa passagem é marcada por mudanças na nossa própria estrutura educacional (espaços, componentes curriculares) e também por mudanças biológicas nas crianças.

Na transição da infância para a adolescência, ampliam-se os vínculos sociais e afetivos entre os pares de mesma idade; ampliam-se, também, as possibilidades intelectuais e a capacidade de raciocínios mais abstratos. Os alunos tornam-se capazes de ver e avaliar os fatos pelo ponto de vista do outro, ação importante na construção de sua autonomia e na aquisição de valores ético-morais, objetivos da nossa Proposta Pedagógica.

Nos anos finais, os alunos deparam-se com desafios de maior complexidade, sobretudo devido à necessidade de se apropriarem das diferentes lógicas de organização dos conhecimentos, ao aprofundamento e à ampliação de repertório. Nossos estudantes devem ter uma atitude crítica em relação aos conteúdos e aos meios digitais, ao mesmo tempo em que são convidados a iniciar uma reflexão sobre seus projetos de vida.

A grade curricular incorpora as características da aprendizagem significativa, com espaços para atividades "mão-na-massa" nas quais alunos e professores promovem a ressignificação dos conteúdos em função do desenvolvimento da comunicação, colaboratividade, pensamento crítico e criatividade. São parte desta grade também os seguintes componentes: Educação Financeira, Língua Portuguesa (Leitura e Produção de Texto, Gramática e Redação), Língua Inglesa, Matemática (Álgebra e Geometria), Arte, Educação Física, Ciências, HIstória, Geografia e Filosofia.

Perpassando essa grade, os projetos transdisciplinares "Vida" agregam vivências de pesquisas e estudos do meio buscando oferecer aos alunos elementos para uma melhor compreensão dos problemas causados pelo desequilíbrio ecológico, cuja solução vem, cada vez mais, exigindo de todos nós radicais mudanças no papel que devemos desempenhar no ecossistema planetário.

Veja Mapa Mental.


Ensino Médio

O Ensino Médio, último estágio da escolaridade básica, orienta e prepara o aluno para uma nova fase de sua vida. Além do aprofundamento dos conteúdos e da aquisição de novos conhecimentos, o estudante é estimulado a explorar o mundo científico, social e cultural, como instrumentos necessários para o seu desenvolvimento.

Instruindo o jovem para o exercício pleno da cidadania e êxito em suas realizações, a proposta pedagógica desse nível contempla diversas atividades que enriquecem os conteúdos acadêmicos previstos nos programas oficiais, desenvolvidos em sala de aula ou laboratórios. Dentre estas, destacam-se: práticas desportivas, pesquisas, atividades de campo, viagens de estudo do meio, palestras, inseridas na programação pedagógica com o intuito de promover uma reflexão sobre a Ecologia Natural e a Ecologia Humana. Paralelamente aos conteúdos fundamentais desta etapa escolar, é desenvolvido um trabalho, cujo principal objetivo é preparar o estudante para outras fases que este viverá e, por isso, são propostas reflexões sobre temas que possam causar inseguranças no adolescente, entre eles, a vida profissional e a vida adulta.

Na 3ª série, o CLQ objetiva concluir um trabalho já iniciado, sobretudo na 1ª série do Ensino Médio, a fim de que o aluno se sinta preparado para realizar avaliações que o habilitarão a iniciar o curso de sua opção, primeira etapa da vida profissional. Para isso, o Colégio conclui o programa, retoma e aprofunda conteúdos, oferecendo ao jovem base sólida e segura para enfrentar, não só as provas de vestibular, mas também os desafios e as transformações do mundo. Como resultado dessas ações pedagógicas, os alunos têm obtido sucesso nos processos seletivos e ingressado nas melhores universidades brasileiras, caminho essencial para uma bem-sucedida carreira.

Veja Mapa Mental.


High School

O Conceito High School: diplomas brasileiro e americano sem sair do país

Objetivo Pedagógico

A High School objetiva o desenvolvimento de habilidades avançadas de leitura, escrita, fala e compreensão oral em Inglês culto, orientadas para a geração de clareza e credibilidade na comunicação, por meio de recursos argumentativos.

O aluno da High School estuda um currículo internacional oficial sólido, composto por cursos (disciplinas) como Literatura, Oratória, Política, Economia e História, permitindo-lhe trânsito em situações acadêmicas e profissionais avançadas, tais como congressos, seminários, rodadas de negociação, cursos de especialização, mestrado, doutorado, bem como oportunidades profissionais em empresas multinacionais localizadas no Brasil ou no exterior.

Com professores de língua nativa inglesa, graduados em seus países de origem, o aluno estuda em um ambiente de imersão genuína, a partir do 9º ano do Ensino Fundamental, os cursos oficiais do Currículo Americano em convênio com a University of MIssouri. As disciplinas do currículo brasileiro CLQ são reconhecidas e convalidadas para o currículo americano, compondo o número de créditos necessários à graduação oficial de High School junto aos órgãos reguladores americanos.