Notícias

Treineiros contam suas experiências

Treineiros contam suas experiências

20 Mar 2019

“Preparar-se, exercitar, tornar-se hábil, familiarizar-se” esse é o sentido do ves-tibular para aqueles que estão cursando a 1ª e 2ª séries do Ensino Médio.
O vestibular, a rotina mais intensa de estudos, a expectativa de passar, a escolha de uma profissão e de uma universidade causam muita ansiedade nos jovens. Para a maioria deles poder experimentar essa vivência antes do momento decisivo tem sido muito válido.
Vários alunos do CLQ, em especial da 2ª série do Ensino Médio passaram por essa experiência e muitos foram aprovados. Alguns optaram por prestar no curso que pretendem fazer e outros em cursos menos concorridos para terem mais chances de conhecer a segunda fase. Um grupo conta como encarou essa vivência e como cada um tem se organizado para os estudos nesse último ano do Ensino Médio.
A maioria dos estudantes diz que já havia prestado o vestibular quando estava na 1ª série, alguns foram até aprovados. Eles comentam “além da experiência, participar do vestibular é uma forma de estudo e auxilia na organização, já que podemos verificar quais são os nossos pontos altos e baixos, e assim dedicar-se mais em algumas áreas ou conteúdos e apenas revisar outros.” E, continuam “além disso, nos amadurece para o vestibular, podemos experimentar todo o clima e ver que os anseios são comuns. Percebemos que o vestibular não é coisa do outro mundo”. Acrescentam, ainda, que essa vivência é importante, pois contribui no controle da ansiedade e da insegurança, fatores que interferem muito no resultado.
Participar do vestibular como treineiro traz mais vantagens do que desvantagens. Entre elas, destacam-se, maior equilíbrio emocional, conhecimento dos preparativos para a provas (estudos, materiais, documentos), do ambiente, do “clima dos vestibulandos”, da metodologia, dos tipos de questões, do gabarito. Esse momento é importante também para as famílias, pois podem auxiliar o jovem e ajudá-lo nesse processo. Isabela Nardo conta que participou como treineira quando cursava a 1ª série. “Fiquei muito nervosa e para mim, naquela época, era inadmissível fazer cursinho. Esse ano, com as experiências que tive e também mais maturidade, fiquei bem mais tranquila”. Ela foi aprovada em Odontologia, pela USP, mas pretende cursar Medicina. “Percebi que cada um tem seu tempo e que se precisar fazer cursinho, já vejo de outra forma. Acho que o fato de ficar mais tranquila refletiu em meu desempenho”, conta ela.
Os estudantes relataram também que é muito interessante conhecer o estilo das questões das faculdades que querem prestar e que tentar resolver as provas dos vestibulares anteriores auxilia no estudo. Enfatizam que, mais do que ficar horas e horas estudando, o importante é organi-zar-se, estabelecer metas e aproveitar bem as horas de estudo e as aulas.
Enfim, concluíram que essa experiência de treino é também uma forma de estudo importante na preparação para os vestibulares.

Compartilhe essa postagem
Mais notícias