Notícias

CANTO DO LIVRE QUERER

CANTO DO LIVRE QUERER

11 Dez 2019

por: Douglas Simões

“Inda bem que a gente não perde
ao esperançar de amanhãs”
(Irineu Volpato)

 

O Canto do Livre Querer tem como objetivo maior estimular e incluir a sensibilidade solidária na dinâmica do desejo dos alunos tornando a solidariedade um “objeto de desejo”, uma “necessidade vital”, fundamental, para o próprio ato de aprender, conhecer, viver e ser. Com isso, espera colaborar na formação global, integral dos educandos, auxiliando-os a fazerem frente a um dos maiores desafios vividos na atualidade: encontrar um sentido maior para a vida!
O nome “Canto do Livre Querer” surgiu da relação com as iniciais do nome do Colégio (CLQ) para ressaltar as palavras livre e querer, características básicas do trabalho solidário/voluntário. Tendo como princípio fundamental a solidariedade, o “Canto” não pode, de maneira nenhuma, sob pena de descaracterizá-lo, ser entendido como mera atividade assistencialista, como algo à parte do processo educacional do CLQ. Ao contrário, ele está intrinsicamente interligado e profundamente enraizado no eixo norteador que fundamenta e procura dar vida à Proposta Pedagógica do Colégio, qual seja, a de estimular os alunos a participarem das atividades propostas com liberdade, responsabilidade, respeito, cooperação a fim de desenvolverem a autonomia intelectual, ético-moral e emocional-afetiva. Autonomia, diga-se, que não significa simples independência, mas consciência da interdependência vital e, por isso mesmo, consciência da dimensão da solidariedade que dá um sentido maior para a aprendizagem significativa.
Para participar das atividades solidárias/voluntárias, os alunos são estimulados pelo entusiasmo e incentivo do próprio Colégio (Diretores, Coordenadores, Professores e Funcionários) bem como pelos trabalhos e depoimentos positivos dos alunos que já realizam estas atividades. Acreditamos nas crianças, nos jovens, e quando oferecemos a eles as oportunidades de participarem, de se solidarizarem, respondem positivamente. Os alunos de todas as séries, de uma forma ou de outra, se envolvem nessas atividades, evidentemente, de acordo com as idades, nível de maturidade e autonomia em que se encontram.
Para estimular a sensibilidade solidária, o “Canto” utiliza várias estratégias: ações de sensibilização, campanhas de arrecadação/doação, trabalhos solidários (incorporados aos Projetos Vida, Gincanas, Projeto Átopos, "Maker", oficinas etc), bem como trabalhos voluntários em instituições assistenciais, durante uma hora e meia, uma vez por semana por, pelo menos, três meses, no Lar Betel, Lar dos Velhinhos, Centro de Reabilitação, Brinquedoteca do Hospital da Unimed, Creche SOS (Santa Bárbara), Asilo João Khüll Filho (Limeira), Associação Santa Rita (Capivari), com possibilidades de ampliação da participação em novas outras instituições.
A importância deste trabalho traduz-se numa valiosa fonte de benefícios educacionais, envolvendo as dimensões cognitiva, ética, pessoal, profissional, social e, mais importante, a dimensão existencial. Para ilustrar sua relevância, destaco aqui algumas frases colhidas das avaliações dos alunos a esse respeito: “A experiência de cantar no Lar Betel foi uma experiência mágica, única!...Foi uma tarde maravilhosa de aprendizado, emoção, alegria!... Acho fundamental esses momentos para aprendermos a ser humanos” / “Mudou minha visão de mundo, meus valores, sentimentos e, principalmente, meu comportamento - passei a visitar meu avô com mais frequência!” / “Participar do trabalho voluntário foi uma das melhores experiências que já tive, não apenas pelo fato de estar ajudando outras pessoas, mas pela oportunidade de entrar em contato com o ambiente de carreira que pretendo seguir: a Medicina!” / “Vou fazer Psicologia para trabalhar com crianças!” / “Fiz trabalho voluntário no Lar Betel e já decidi: vou fazer Medicina, com especialização em Geriatria!” / “Acho o Canto do Livre Querer uma das atividades mais significantes do CLQ... Espero que continue esse trabalho tão importante para formação de caráter!” / “Gostei de realizar o trabalho, a minha semana sem ele não tem o mesmo sentido... Foi uma das atividades mais ricas que o Colégio me proporcionou!”

Em síntese, o “Canto” entende ser o trabalho ético/solidário/voluntário não só uma fonte rica de (auto)conhecimento mas, acima de tudo, uma valiosa fonte de vida porque nos permite passar de receptor a doador, aproximando-nos, ainda mais, da Fonte Maior da Vida!

Compartilhe essa postagem
Mais notícias